Visita de Ideli é Marcada por Apoio e Cobranças

166
0
Share:

A ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti (PT), e o presidente nacional do PT, Rui Falcão, vieram à região nessa sexta-feira para manifestar apoio às candidaturas de Fábio Brezola e Décio Góes, petistas que concorrem às prefeituras de Criciúma e Balneário Rincão, respectivamente.

Na sede da Associação Empresarial de Criciúma (Acic), os dois falaram sobre o cenário econômico nacional e as ações do Governo Federal. Empresários aproveitaram a ocasião para fazer reivindicações à ministra.

Ideli disse ter tirado um “dia de férias” para vir a Santa Catarina. Segundo ela, a presidente Dilma Rousseff autorizou quando soube que uma das cidades que terão novas eleições é Criciúma, a maior do Sul do Estado. “É preciso haver harmonia. Por exemplo, em algumas cidades o Governo Federal, com o programa Minha Casa Minha Vida, leva umas mil famílias a um local novo e o município não oferece estrutura. O novo prefeito tem que estar antenado, pensar na mesma linha do Governo Federal”, revelou a ministra. Ela também esteve no Balneário Rincão, onde pediu votos a Décio Góes.

Empresários reivindicam

O presidente do Sindicato da Indústria de Extração de Carvão do Estado de Santa Catarina (Siecesc), Ruy Hülse, pediu para que Ideli participe da luta pela inclusão do carvão mineral nos futuros leilões de energia elétrica, assim como “as mesmasvantagens tributárias que têm outras fontes de energia”.

“Vai representar uma importante atividade para o desenvolvimento da nossa região”, justificou Hülse. Ideli ressaltou que o Governo Federal têm compromissos internacionais a serem cumpridos — referindo-se a convenções que impuseram limites na emissão de gás carbônico —, mas prometeu “manter o diálogo”.

Rui Falcão disse que não existe crise no setor energético e que o Governo está certo ao priorizar outras fontes de energia.

Já o vice-presidente da Acic, Delir João Milanez, fez críticas à SC Gás. “É a empresa que mais lucra em Santa Catarina. A SC Gás fatura 30% do patrimônio líquido em um ano. Em segundo lugar vem a WEG, com só 8%. E só 4% dos 500 milhões de lucro fica em Santa Catarina”, relatou.

Criticou a política cambial, dizendo prejudicar as exportações e o setor produtivo. Rui Falcão foi quem respondeu. “Hoje está bom. O dólar já esteve em R$ 1,60. Se aumentar mais, os importadores reclamam. É preciso manter o equilíbrio da economia”, justificou. “Mas a importação não gera empregos”, rebateu Milanez.

Apoio do PRB

A base aliada também se fez presente. O presidente estadual do PRB, vereador da capital Jeronimo Alves recebeu a ministra e declarou seu apoio a dois candidatos do PT na região sul do estado: em Criciúma, Fabio Brezola e Balneário Rincão Décio Goes.
“Desde a fundação o PRB tem caminhado com o PT.Fomos base nos dois mandatos de Lula e estamos no governo Dilma. O meu partido tem sido fiel durante esses anos porque temos principios que foram plantados por Zé Alencar e Marcelo Crivella”.
 

Tabela do SUS está sendo revista, diz Ideli

Ideli Salvatti disse ao jornal A Tribuna que o Governo Federal está estudando mudanças na tabela de repasses do Sistema Único de Saúde (SUS). “Não acompanho essa discussão de perto, mas sei que isso está sendo revisto, sim”, limitou-se a dizer.

No dia 8 deste mês, A Tribuna publicou as dificuldades em que vivem os hospitais da região devido à baixa remuneração do SUS. Conforme as direções dos hospitais, os valores repassados não são atualizados desde a década de 90, motivo que levou a Casa de Saúde do Rio Maina e o Hospital São João Batista a não atenderem mais pelo SUS. À tarde, ela foi ao Hospital São José, em Criciúma.

Fonte: ClicAtribuna

Share:

Deixe o seu comentário